Artigos Complementares

O que é Governança Corporativa?

“Governança Corporativa é o sistema pelo qual as sociedades são dirigidas e monitoradas, envolvendo os relacionamentos entre acionistas-cotistas, conselho de administração, diretoria, auditoria independente e conselho fiscal. As boas práticas de governança corporativa têm a finalidade de aumentar o valor da sociedade, facilitar seu acesso ao capital e contribuir para a sua perenidade”.

O estudo da Governança Corporativa não deve ficar restrito a aspectos meramente teóricos e abstratos, mas, ao contrário, deve sempre levar em consideração que através da introdução de regras corporativas e procedimentos gerenciais é possível alcançar uma estrutura de governança que resulte na valorização da companhia pelo mercado e crie valor para os acionistas.

Analisando o conceito de Governança Corporativa no contexto empresarial, Drucker (1998) defende que a governança é constituída pelo conjunto de mecanismos internos e externos que visam harmonizar as relações entre gestores e geridos, para fazer com que uma organização cumpra sua missão e atinja os objetivos estipulados pelos seus acionistas e demais participantes relevantes.

Rodrigues (2004) resume as características do panorama da Governança Corporativa brasileira, apontadas nos relatórios das empresas Korn/Ferry Internacional e Mckinsey & Company, em nove peculiaridades:

  • Estrutura de propriedade com forte concentração das ações com direito a voto (ordinárias) e alto índice de emissão de ações sem direito;
  • Empresas com controle familiar ou compartilhado por alguns poucos;
  • Investidores alinhados por meio de acordo de acionistas para resolução das questões;
  • Presença de acionistas minoritários pouco ativos;
  • Alta sobreposição entre propriedade e gestão, com os membros do conselho representando os interesses dos acionistas controladores;
  • Pouca clareza da divisão dos papéis entre conselho e diretoria, principalmente nas empresas familiares;
  • Escassez de conselheiros profissionais no Conselho de Administração;
  • Remuneração dos conselheiros como fator pouco relevante;
  • Estrutura informal do Conselho de Administração, com ausência de comitês para tratamento de questões específicas, como auditoria ou sucessão.

O IBGC é uma organização exclusivamente dedicada à promoção da Governança Corporativa no Brasil e o principal fomentador das práticas e discussões sobre o tema no país, tendo alcançado reconhecimento nacional e internacional.

O Código do IBGC (2004) trata de seis assuntos principais: (a) Propriedade, (b) Conselho de Administração; (c) Gestão; (d) Auditoria independente; (e) Conselho fiscal; e (f) Conduta e conflitos de interesses.

Confesso que esse é um tema muito complexo, e que eu ainda não estou totalmente situada sobre o assunto, mas tentei fazer um pequeno resumo aqui para termos uma ideia do que se trata. 😉

Anúncios