Departamento Pessoal

A Nova Aposentadoria.

Entenda como funciona as novas regras para a aposentadoria de acordo com o calculo progressivo.

O trabalhador passa a ter direito à aposentadoria integral (hoje em R$ 4.663,75) se a soma da idade e do tempo de contribuição resultar em 85 (mulheres) ou 95 (homens) – respeitando 35 anos de contribuição para homens e 30 para mulheres. Essa soma vai acrescentar 1 ponto, de forma progressiva, nos anos de 2017, 2019, 2020, 2021 e 2022.

Aposentadoria

Cálculo leva em conta a soma da idade e tempo de contribuição da pessoa.
Veja como são calculadas as pontuações:

HOMEM

Mínimo de Contribuição: 35 anos
Idade: *60 anos
= 95 pontos que depende do ano da aposentadoria.
* A idade pode ser menor se o tempo de contribuição for maior.

MULHER

Mínimo de Contribuição: 30 anos
Idade: *55 anos
= 85 pontos que depende do ano da aposentadoria.
* A idade pode ser menor se o tempo de contribuição for maior.

ATENÇÃO: Você não precisará trabalhar até 85 anos para se aposentar! A nova regra contempla o tempo de contribuição somado à idade.

A fórmula 85/95 significa que o trabalhador pode se aposentar, com 100% do benefício, quando a soma da idade e tempo de contribuição for 85, no caso das mulheres, e 95, no caso dos homens. O tempo mínimo de contribuição para elas é de 30 anos e, para eles, de 35 anos.

FATOR PREVIDENCIÁRIO

Essa nova regra não acaba com o fator previdenciário.
A nova regra é uma opção. Caso a pessoa deseje se aposentar antes de completar a soma de pontos necessários, ela poderá se aposentar, mas vai haver aplicação do fator previdenciário e, portanto, potencial redução no valor do benefício.

ATENÇÃO: A nova regra não atinge quem já se aposentou.

Fonte: http://www.previdencia.gov.br/

Anúncios
Departamento Pessoal

Funcionário Aposentado.

O aposentado pelo INSS que retornar ao trabalho após a jubilação ou que permanecer trabalhando após obter aposentadoria será considerado segurado para fins de recolhimento de contribuição previdenciária, conforme prescreve o § 4º do artigo 12 da Lei nº. 8.212/1991:

“§ 4º O aposentado pelo Regime Geral de Previdência Social-RGPS que estiver exercendo ou que voltar a exercer atividade abrangida por este Regime é segurado obrigatório em relação a essa atividade, ficando sujeito às contribuições de que trata esta Lei, para fins de custeio da Seguridade Social”.

Dessa forma, o trabalhador aposentado é equiparado aos demais trabalhadores no que tange ao recolhimento de contribuição previdenciária e demais obrigações trabalhistas, assim, não há qualquer benefício com os recolhimentos da contribuição previdenciária para o trabalhador aposentado.

Fonte: Pesquisas on-line e vivência de casos.